• Principal
  • Notícia
  • Um olhar mais atento sobre a identidade judaica em Israel e nos EUA

Um olhar mais atento sobre a identidade judaica em Israel e nos EUA

Quase todos os judeus nos Estados Unidos e em Israel dizem que têm orgulho de ser judeus, e a grande maioria em ambos os países afirmam ter um forte sentimento de pertencer ao povo judeu. Mas as duas comunidades judaicas nem sempre concordam sobre o quesignificaser judeu, de acordo com uma nova pesquisa do Pew Research Center sobre religião em Israel (em comparação com nossa pesquisa de 2013 com judeus dos EUA).

Ambas as pesquisas perguntaram aos judeus sobre uma lista de oito possíveis comportamentos e atributos que poderiam ser 'essenciais' ou 'importantes' para sua identidade judaica pessoal. Em ambos os países, a maioria diz que lembrar o Holocausto é essencial para suas identidades judaicas (73% nos EUA, 65% em Israel).

Judeus americanos mais propensos a ver a ética e a justiça como essenciais para ser judeu

Mas muito mais americanos do que judeus israelenses dizem que 'levar uma vida ética e moral' (69% contra 47%) e 'trabalhar por justiça e igualdade' (56% contra 27%) são vitais para ser judeu. Os judeus americanos também têm mais probabilidade do que os de Israel de ver a curiosidade intelectual e o bom senso de humor como peças-chave de sua identidade judaica.

Por outro lado, os judeus israelenses têm maior probabilidade do que os judeus dos EUA de dizer que observar a lei judaica é essencial para o que ser judeu significa para eles (35% contra 19%).

A lista de respostas possíveis foi originalmente elaborada para nossa pesquisa com judeus americanos, o que pode ajudar a explicar por que os americanos responderam de forma mais afirmativa a esses elementos da identidade judaica.

Os dois grupos também foram questionados sobre o que ser judeu significa para eles de uma maneira diferente, com uma pergunta aberta que lhes permitiu dar qualquer resposta. A grande maioria dos judeus israelenses citou conexões com a história, cultura e comunidade judaicas. Além disso, 53% disseram que passar as tradições judaicas para as crianças é crucial para sua identidade judaica. A maioria dos judeus americanos, ao contrário, não mencionou um elemento essencial adicional da identidade judaica na questão aberta, talvez em parte porque se sentiram mais satisfeitos com a lista de possíveis respostas que já havia sido oferecida (entre outras razões potenciais).



Judeus americanos e israelenses oferecem perspectivas mais semelhantes sobre o quedesqualificauma pessoa de ser judia. A maioria sólida em ambos os países diz que uma pessoa pode ser judia mesmo que trabalhe no sábado, não acredite em Deus ou seja fortemente crítica de Israel. Mas relativamente poucos judeus em ambos os lugares dizem que uma pessoa que acredita que Jesus foi o Messias pode ser judia (18% em Israel, 34% nos EUA).

Judeus israelenses e americanos tendem a dizer que ser judeu tem a ver principalmente com ancestralidade ou culturaA noção de que uma pessoa pode ser judia mesmo sem observar o sábado ou acreditar em Deus pode estar ligada à ideia sustentada por muitos judeus de que ser judeu tem mais a ver com ancestralidade ou cultura do que com religião. De fato, uma pluralidade de judeus em Israel (55%) e a maioria nos EUA (62%) dizem que este é o caso para eles pessoalmente, embora 23% em cada país diga que sua identidade judaica é sobre religião e ancestralidade / cultura igualmente.

Cerca de um em cada cinco judeus israelenses (22%) e uma parcela ligeiramente menor de judeus americanos (15%) dizem que ser judeu, para eles, é principalmente sobre religião. Judeus ortodoxos em ambos os países são particularmente propensos a assumir essa posição.

Ambas as pesquisas perguntaram aos entrevistados o quão importante 'ser judeu' é em suas vidas. Uma parcela ligeiramente maior de israelenses do que de judeus americanos (54% contra 46%) diz que é muito importante, enquanto um pouco mais de americanos (20%) do que de israelenses (10%) dizem que é 'não muito' ou 'nada' importante.

Uma pluralidade de judeus israelenses (46%) diz que ser judeu vem antes de ser israelense para eles, mas cerca de um terço (35%) diz que é israelense primeiro. Judeus seculares (Hiloni) em Israel são particularmente propensos a se sentir assim: a maioria (59%) diz que se considera israelense antes de ser judeu.

Não se perguntou aos judeus americanos se eram americanos primeiro ou judeus primeiro.

Facebook   twitter