Parte 1: O papel das bibliotecas na vida das pessoas e nas comunidades

O ponto de partida desta pesquisa foi entender como as pessoas atualmente usam suas bibliotecas. Nos últimos 12 meses, 53% dos americanos com 16 anos ou mais visitaram uma biblioteca ou livreto; 25% visitaram o site de uma biblioteca; e 13% usaram um dispositivo portátil, como um smartphone ou tablet para acessar o site de uma biblioteca. Ao todo, 59% dos americanos com 16 anos ou mais tiveram pelo menos um desses tipos de interação com sua biblioteca pública nos últimos 12 meses.

Em nossa pesquisa, perguntamos às pessoas sobre seu patrocínio geral às bibliotecas - se elas tiveram experiências com bibliotecas na infância, com que frequência as visitam ou sites de bibliotecas e que tipo de experiências tiveram nessas visitas. Também perguntamos às pessoas o quão importante as bibliotecas são, não apenas para elas e suas famílias, mas também para a comunidade como um todo.

Uso da biblioteca de membros da família desde a infância

A maioria dos americanos tem conexões de longa data com bibliotecas locais, mas um quinto não tem memória de membros da família que usam a biblioteca. Cerca de 77% dizem que se lembram de alguém em sua família usando bibliotecas públicas enquanto cresciam; um em cada cinco (20%) afirma que ninguém na família usou a biblioteca.

As mulheres são mais propensas do que os homens a dizer que se lembram de um membro da família usando a biblioteca quando estavam crescendo, e os entrevistados com níveis mais altos de educação e que moram em famílias com níveis de renda mais altos têm uma probabilidade significativamente maior de dizer isso também. Os hispânicos são significativamente menos propensos do que os brancos ou negros a dizer que um membro da família usou a biblioteca, e adultos com 65 anos ou mais têm menos probabilidade do que os americanos mais jovens de dizer isso. Além disso, as pessoas que vivem em áreas urbanas ou suburbanas são mais propensas a relatar que um membro da família usou a biblioteca quando eram crianças do que aqueles que vivem em áreas rurais.

Uso da biblioteca dos americanos

No geral, 84% dos americanos com 16 anos ou mais já visitaram pessoalmente uma biblioteca ou livreto. As mulheres são mais prováveis ​​do que os homens (86% vs. 81%), e os brancos (86%) são mais prováveis ​​do que os negros (80%) ou hispânicos (71%). Aqueles com pelo menos alguma experiência universitária são mais propensos a visitar uma biblioteca ou livraria do que aqueles com níveis mais baixos de educação. Os grupos de idade mais jovem (especialmente aqueles com menos de 50 anos) e aqueles com níveis mais altos de renda familiar geralmente têm mais probabilidade de o terem feito também.

Cerca de 64% das pessoas que já visitaram uma biblioteca pública dizem que a visitaram pessoalmente nos últimos 12 meses. Isso significa que 53% de todos os americanos com 16 anos ou mais visitaram pessoalmente uma biblioteca pública ou um livro móvel no ano passado.



As mulheres são mais propensas do que os homens a visitar uma biblioteca ou livro no último ano (59% vs. 48%), e aqueles com menos de 65 anos são mais propensos do que os adultos mais velhos a fazê-lo também. Os americanos com pelo menos alguma experiência universitária também têm uma probabilidade significativamente maior do que aqueles que não cursaram a faculdade de terem visitado uma biblioteca no ano passado.

Finalmente, aqueles que se lembram de um membro da família usando a biblioteca enquanto estavam crescendo não só são significativamente mais propensos do que aqueles sem experiências familiares de ter visitado uma biblioteca pessoalmente (90% vs. 64%), mas também são mais prováveis ter visitado uma biblioteca no ano passado (59% vs. 34%).

Entre aqueles que visitaram pessoalmente uma biblioteca pública no ano passado:

  • 3% dizem que vão todos os dias ou quase todos os dias
  • 12% dizem que vão pelo menos uma vez por semana
  • 19% vão várias vezes por mês
  • 28% vão cerca de uma vez por mês
  • 38% vão com menos frequência do que isso

Embora muitas atividades nas bibliotecas nem sempre exijam um cartão da biblioteca, muitas outras - como o empréstimo de livros - exigem. Atualmente, 63% dos americanos com 16 anos ou mais têm carteira da biblioteca, contra 58% em dezembro de 2011.

Experiências em bibliotecas são positivas

Entre aqueles que já usaram uma biblioteca pública, quase todos os entrevistados disseram que suas experiências com o uso de bibliotecas públicas são muito positivas (57%) ou em sua maioria positivas (41%); apenas cerca de 1% afirma que suas experiências foram negativas em sua maioria.

Mulheres, negros e adultos com 30 anos ou mais são significativamente mais propensos do que outros grupos a relatar experiências 'muito positivas' em bibliotecas públicas, assim como os americanos com pelo menos o ensino médio. Os entrevistados com idades entre 16 e 17 anos são os menos propensos a relatar experiências 'muito positivas', com a maioria (62%) relatando experiências 'principalmente positivas'.

Qual a importância das bibliotecas para os indivíduos e suas comunidades

Em nossa pesquisa de dezembro de 2011, perguntamos às pessoas o quão importante as bibliotecas são para elas e suas famílias. Para esta pesquisa, fizemos duas perguntas aos entrevistados: Qual a importância das bibliotecas para eles e suas famílias, e também qual a importância das bibliotecas para suas comunidades como um todo.

Qual a importância das bibliotecas para você e sua família?

No geral, a maioria dos americanos (76% de todos os entrevistados) diz que as bibliotecas são importantes para eles e suas famílias, e 46% dizem que as bibliotecas são 'muito importantes' - 38% afirmam que as bibliotecas são 'muito importantes' em dezembro de 2011 .1As mulheres (51%) são mais propensas do que os homens (40%) a dizer que as bibliotecas são 'muito importantes' para elas e suas famílias, e negros (60%) e hispânicos (55%) são mais propensos a dizer isso do que os brancos ( 41%).

Além disso, adultos com 30 anos ou mais (50%) também têm mais probabilidade do que adultos com 18-29 (38%) de dizer que as bibliotecas são 'muito importantes' para eles e suas famílias. Apenas 18% dos jovens de 16 a 17 anos dizem isso, embora estejam entre os maiores usuários de bibliotecas. Aqueles com idades entre 16 e 17 anos são mais propensos a dizer que as bibliotecas são 'um pouco importantes' (47%) ou 'não muito importantes' (21%) para eles e suas famílias. Além disso, 52% das pessoas em famílias que ganham menos de US $ 30.000 por ano dizem que as bibliotecas são 'muito importantes' para eles e suas famílias, com 82% dizendo que as bibliotecas são importantes no geral, tornando aqueles nesta faixa de renda significativamente mais propensos a dizer isso do que aqueles em famílias que ganham mais de $ 50.000 por ano.

Talvez sem surpresa, aqueles que usaram a biblioteca nos últimos doze meses são mais propensos a dizer que as bibliotecas são importantes do que aqueles que não o fizeram. Pelo menos metade (55%) daqueles que usaram uma biblioteca no ano passado dizem que a biblioteca é 'muito importante' para eles e suas famílias, em comparação com cerca de um terço (33%) daqueles que não usaram uma biblioteca naquele tempo.

Da mesma forma, aqueles que estão mais familiarizados com os recursos e programas em sua biblioteca pública local são mais propensos a dizer que as bibliotecas são importantes. Cerca de 86% dos que afirmam conhecer 'todos ou a maioria' dos serviços que sua biblioteca oferece, dizem que as bibliotecas são importantes para eles e sua família em geral, incluindo 60% que afirmam que as bibliotecas são 'muito importantes'. Entre aqueles que afirmam não saber 'pouco' ou 'nenhum' dos serviços que suas bibliotecas oferecem, 61% dizem que a biblioteca é importante para eles e suas famílias, e apenas 32% dizem que é 'muito importante'.

A importância das bibliotecas para a comunidade como um todo

Quando questionados sobre a importância das bibliotecas públicas para a sua comunidade, pelo menos nove em cada dez entrevistados (91%) disseram que consideravam a biblioteca 'muito importante' (63%) ou 'algo importante' (28%) para a sua comunidade como um todo.

Embora a grande maioria de todos os grupos considerasse as bibliotecas importantes para suas comunidades, alguns grupos demográficos se destacam em suas avaliações. Mais uma vez, as mulheres (69%) têm mais probabilidade do que os homens (57%) de dizer que a biblioteca era 'muito importante' para sua comunidade, e negros (74%) e hispânicos (67%) são mais prováveis ​​do que brancos (60 %) para dizer isso também. Adultos com 30 anos ou mais também são mais propensos a considerar a biblioteca 'muito importante' para sua comunidade do que os entrevistados mais jovens, e aqueles que vivem em famílias na faixa de renda mais baixa são mais propensos a considerar as bibliotecas 'muito importantes' para sua comunidade do que aquelas em famílias que ganham pelo menos $ 75.000 por ano.

Mesmo entre aqueles que não usaram a biblioteca no ano passado, pelo menos metade (53%) afirma considerar as bibliotecas públicas 'muito importantes' para sua comunidade como um todo, com 85% considerando as bibliotecas importantes para sua comunidade em geral. Em comparação, 70% das pessoas que usaram a biblioteca no ano passado as consideram 'muito importantes' para sua comunidade e 94% as consideram importantes para sua comunidade em geral.

Enquanto isso, cerca de três quartos (74%) daqueles que estão muito familiarizados com os serviços de suas bibliotecas consideram as bibliotecas 'muito importantes' para sua comunidade, em comparação com 49% daqueles que geralmente não estão familiarizados com os serviços de suas bibliotecas; 94% dos que estão familiarizados com os serviços de suas bibliotecas dizem que as bibliotecas são importantes para sua comunidade em geral, assim como 84% dos que sabem pouco ou nada sobre as ofertas de suas bibliotecas.

Em nossos grupos focais, a maioria dos participantes disse que valorizava ter bibliotecas em suas comunidades e sentiria falta delas se elas fossem embora, especialmente porque muitos ainda estavam lidando com os efeitos da recessão. Um participante disse: 'Acho que nossa comunidade (sentiria falta de nossa biblioteca pública) porque nossa biblioteca é extremamente usada. O sistema online surgiu por conta própria na época em que a economia mudou. Nossa biblioteca é extremamente usada por pessoas que cinco ou seis anos atrás poderiam comprar livros, mas agora não podem pagar.

Mesmo os participantes do grupo de foco que não usavam muito as bibliotecas locais disseram que sentiriam falta delas se fossem embora. Uma disse que queria viver no tipo de comunidade que tivesse uma biblioteca, embora ela pessoalmente ainda não a tivesse usado. Outra disse que, embora a perda de sua biblioteca local provavelmente não a afetasse pessoalmente, 'Eu me considero um membro de uma comunidade e, portanto, afetaria profundamente minha comunidade' - e, portanto, teria um impacto sobre ela também. Outro disse: 'Prefiro ter bibliotecas abertas a comunidades onde as pessoas não possam pagar o que eu posso pagar'.

Facebook   twitter