• Principal
  • Notícia
  • O governo da China pode ser comunista, mas seu povo abraça o capitalismo

O governo da China pode ser comunista, mas seu povo abraça o capitalismo

Embora o governo da China possa ser oficialmente comunista, o povo chinês expressa amplo apoio ao capitalismo. Aproximadamente três quartos dos chineses (76%) concordam que a maioria das pessoas está melhor em uma economia de mercado livre. E desde 2002, os chineses têm sido consistentemente um dos maiores defensores do capitalismo em comparação com outros públicos ao redor do mundo, ainda mais do que os americanos e europeus ocidentais.

A maioria das pessoas fica melhor em uma economia de mercado livre, embora algumas pessoas sejam ricas e outras sejam pobres.Os últimos 30 anos trouxeram enormes mudanças para a economia chinesa. No final da década de 1970, o governo começou a abrir a economia ao investimento estrangeiro e à privatização. Com essas mudanças veio um crescimento econômico altíssimo - uma média de 10% desde 1980. E na quarta-feira, o Fundo Monetário Internacional (FMI) divulgou números estimando que a China é agora a maior economia do mundo, ultrapassando os Estados Unidos, embora isso realização está em debate.

A incrível expansão econômica da China fez com que os chineses estivessem extremamente felizes com sua situação econômica e otimistas sobre seu futuro, de acordo com uma pesquisa realizada em 2014 pelo Pew Research Center. Mas nossa pesquisa também mostrou uma corrente de desconforto com as condições na China hoje, já que muitos reclamam da inflação, desigualdade e corrupção.

Qual é a razão mais importante para o fosso entre ricos e pobres em nosso país hoje?A grande maioria dos chineses (89%) acha que as coisas estão indo bem com sua economia, o que os torna os mais felizes nessa medida, em comparação com todos os outros 43 países pesquisados ​​este ano. E eles acreditam que as coisas só vão melhorar. Oito em cada dez dizem que a economia continuará melhorando nos próximos 12 meses. E 85% acham que a geração mais jovem terá melhores condições financeiras do que seus pais. Esse otimismo contrasta fortemente com as descobertas na Europa e nos EUA, onde a grande maioria acredita que seus filhos ficarão piores daqui para frente.

Apesar do quadro otimista na China, muitos chineses reclamam da desigualdade (42% do problema muito grande) e da inflação (38%). Mais de quatro em cada dez (43%) afirmam que as políticas econômicas de seu governo são responsáveis ​​pela disparidade entre ricos e pobres em seu país, uma das percentagens mais altas em todos os países da pesquisa.

Os chineses também estão insatisfeitos com o nível de corrupção que observam. No ano passado, 53% disseram que funcionários corruptos eram um grande problema. E neste ano, 38% dizem que dar suborno é importante para progredir na vida, consideravelmente mais alto do que a mediana global de 16% (porcentagem dizendo 7, 8, 9 ou 10 na escala de importância de 0-10).



Facebook   twitter