Jovens eleitores nas primárias presidenciais de 2008

por Scott Keeter, diretor de pesquisa do Pew Research Center e analista da NBC News

Figura

Muita atenção na Superterça se concentrou nos eleitores jovens, especialmente nas disputas democratas. A pesquisa do Pew nos últimos anos mostrou que os eleitores jovens são democratas e constituem um eleitorado importante para o partido. Atualmente, uma clara maioria dos eleitores registrados com idades entre 18 e 29 anos diz ser democrata ou inclinar-se para o Partido Democrata, enquanto cerca de um terço se identifica com o Partido Republicano.

Em parte como reflexo dessa vantagem de filiação partidária, os eleitores jovens foram a faixa etária que deu a John Kerry seu maior nível de apoio em 2004; eles também eram a faixa etária que mais apoiava os candidatos do Partido Democrata ao Congresso em 2006. Também notável nessas eleições de destaque foi o fato de que a participação eleitoral entre os jovens aumentou ainda mais do que entre outras faixas etárias. A mesma coisa está acontecendo novamente este ano nas primárias democratas.

De acordo com as pesquisas da NBC News, a participação dos jovens eleitores no eleitorado democrata em 5 de fevereiro foi maior em quase todos os estados para os quais uma boa comparação com 2004 está disponível.1Em todas as disputas de 2008 para as quais há dados de votação disponíveis, os jovens constituíram uma média (mediana) de 14% dos eleitores democratas nas primárias, ante uma mediana de 9% no conjunto de disputas comparáveis ​​em 2004.

Figura

O aumento na participação de jovens ocorreu em diversos estados, incluindo aqueles com grandes populações afro-americanas (Geórgia, Carolina do Sul), quase todos brancos (Iowa, New Hampshire) e um com uma grande população hispânica (Califórnia). A participação dos jovens como uma porcentagem do total é maior nos estados que votaram no início do processo primário e para os quais as comparações com 2004 são mais adequadas (Iowa, New Hampshire e Carolina do Sul), bem como naqueles onde o A comparação de 2004 é com as competições realizadas em março daquele ano, depois que a nomeação foi essencialmente acertada (Califórnia, Connecticut, Geórgia, Massachusetts, Nova York).

Barack Obama ganhou a maioria dos votos de 2008 entre essa faixa etária em todos os estados que realizaram primárias ou caucus até agora, com exceção da Califórnia, Arkansas e Massachusetts. Entre a amostra combinada de todos os jovens eleitores na Superterça, Obama recebeu 57% contra 41% de Hillary Clinton. Obama também teve uma vantagem de 54% -43% entre o próximo grupo de idade mais jovem, os de 30 a 44 anos. Clinton liderou por pouco (51% a 46%) entre as idades de 45 a 59 anos e por 57% a 37% entre os eleitores democratas de 60 anos ou mais.



A porcentagem de votos de Obama entre os jovens foi mais alta em estados com populações negras significativas (Geórgia, Carolina do Sul, Missouri e Alabama) e em seu estado natal, Illinois. Clinton se saiu melhor entre os jovens de seu antigo estado natal, Arkansas, em Massachusetts, e na Califórnia, onde o forte apoio da juventude latina compensou a vantagem de Obama entre os jovens brancos.

Figura

Além da votação, as pesquisas na Superterça apontam para diferenças interessantes - e semelhanças - entre os eleitores democratas mais jovens e mais velhos. Os jovens eleitores democratas têm uma probabilidade consideravelmente maior do que os mais velhos de serem hispânicos, e um pouco mais probabilidade de serem negros. Eles são mais propensos a dizer que não têm afiliação religiosa (23% vs. 18% entre aqueles com idades entre 30-44, 15% entre aqueles com 45-59 anos, 10% entre aqueles com 60 anos ou mais), e mais probabilidade de dizer que são “Liberal” em sua orientação política.

Mas suas atitudes sobre as questões e suas orientações com relação à campanha de 2008 - além de sua escolha de voto - não são muito diferentes daquelas de seus mais velhos. Os eleitores democratas mais jovens e mais velhos são semelhantes nas avaliações que dão à economia nacional (esmagadoramente 'não tão bom' ou 'pobre'), na porcentagem de democratas x independentes e quando dizem que decidiram em quem votar na eleição. Eles não são diferentes na importância que atribuem ao gênero e à raça na votação. E suas prioridades de questão são muito semelhantes às dos eleitores mais velhos. Notavelmente, embora os eleitores mais jovens tivessem maior probabilidade de votar em Obama, porcentagens comparáveis ​​de eleitores mais jovens e mais velhos dizem que ficariam satisfeitos com cada candidato.

Facebook   twitter