• Principal
  • Política
  • Internet ganha na televisão como principal fonte de notícias do público

Internet ganha na televisão como principal fonte de notícias do público

visão global

A Internet está lentamente se aproximando da televisão como a principal fonte de notícias nacionais e internacionais dos americanos. Atualmente, 41% afirmam que obtém a maioria das notícias sobre notícias nacionais e internacionais da Internet, que pouco mudou nos últimos dois anos, mas aumentou 17 pontos desde 2007. A televisão continua sendo a fonte mais usada de notícias nacionais e internacionais - 66 % dos americanos afirmam que é sua principal fonte de notícias - mas é menor que 74% há três anos e 82% em 2002.

A pesquisa nacional do Pew Research Center for the People & the Press, realizada de 1 a 5 de dezembro de 2010 entre 1.500 adultos acessados ​​por telefones celulares e fixos, descobriu que mais pessoas continuam citando a internet do que os jornais como sua principal fonte de notícias , refletindo tanto o crescimento da Internet quanto o declínio gradual no número de leitores de jornais (de 34% em 2007 para 31% agora). A proporção de citações de rádio como principal fonte de notícias nacionais e internacionais permaneceu relativamente estável nos últimos anos; atualmente, 16% afirmam que é sua principal fonte.

Uma análise de como as diferentes gerações estão recebendo suas notícias sugere que essas tendências provavelmente continuarão. Em 2010, pela primeira vez, a internet ultrapassou a televisão como principal fonte de notícias nacionais e internacionais para menores de 30 anos. Desde 2007, o número de jovens de 18 a 29 anos citando a internet como principal fonte quase dobrou, de 34% a 65%. Nesse período, o número de jovens que citam a televisão como principal fonte de notícias caiu de 68% para 52%.

Entre aqueles de 30 a 49 anos, a internet caminha para igualar, ou talvez superar, a televisão como principal fonte de notícias nacionais e internacionais nos próximos anos. Atualmente, 48% afirmam que a internet é sua principal fonte - mais 16 pontos em relação a 2007 - e 63% citam a televisão - menos oito pontos.

A Internet também cresceu como fonte de notícias para pessoas com idades entre 50 e 64 anos; atualmente 34% afirmam que a internet é sua principal fonte de notícias nacionais e internacionais, quase igual ao número que cita jornais (38%), embora ainda muito abaixo da televisão (71%). Houve relativamente pouca mudança no modo como as pessoas com 65 anos ou mais recebem suas notícias. A Internet aumentou de 5% para 14% em 2007, mas ainda está muito atrás dos jornais (47%) e da televisão (79%) como fonte principal.

O declínio na proporção de americanos que citam a televisão como sua principal fonte de notícias nacionais e internacionais atinge todas as faixas etárias. Nos últimos três anos, o número que diz que a TV é sua principal fonte caiu 16 pontos entre os jovens de 18 a 29 anos, oito pontos entre os de 30 a 49 anos e seis pontos entre os de 50 anos ou mais.



Os noticiários de TV ainda dominam entre os menos instruídos

Os graduados universitários têm quase a mesma probabilidade de obter a maior parte das notícias nacionais e internacionais da Internet (51%) do que da televisão (54%). Aqueles que têm alguma faculdade têm a mesma probabilidade de citar a internet como fonte principal (51%), enquanto 63% citam a televisão. Em contraste, apenas 29% das pessoas com não mais do que o ensino médio citam a internet, enquanto mais do que o dobro (75%) citam a televisão.

Da mesma forma, aqueles com renda familiar de $ 75.000 ou mais têm quase a mesma probabilidade de obter a maior parte de suas notícias na internet (54%) do que na televisão (57%). Pessoas com renda familiar abaixo de US $ 30.000 têm muito mais probabilidade de citar a televisão (72%) do que a Internet (34%).

Também existem diferentes padrões de consumo de notícias nas regiões do país. Notavelmente, as pessoas que vivem no Ocidente são as mais propensas a citar a internet como sua principal fonte de notícias nacionais e internacionais (47% vs. 40% em outras partes do país) e as menos propensas a citar a televisão (55% vs. . 68% em outros lugares).

Tanto as notícias a cabo quanto as notícias de transmissão veem recusas

Refletindo o lento declínio na proporção de pessoas que obtêm a maior parte de suas notícias nacionais e internacionais na televisão, os números citando especificamente os canais de notícias a cabo ou as redes de transmissão como sua principal fonte de notícias caíram. Quando questionados sobre onde obtêm a maior parte das notícias na televisão, 36% citam uma rede a cabo como CNN, Fox News Channel ou MSNBC; 22% nomeiam ABC News, CBS News ou NBC News; e 16% dizem que obtêm a maior parte das notícias nacionais e internacionais da programação de notícias local.

Em comparação com cinco anos atrás, a parcela que cita uma rede de cabo como sua principal fonte caiu sete pontos (de 43% para 36%), e a parcela que cita uma rede de transmissão caiu oito pontos (de 30% para 22%). O número das notícias locais permaneceu relativamente constante durante este período.

Facebook   twitter