• Principal
  • Notícia
  • Estudo encontra divisão racial e étnica na atenção às notícias sobre crimes

Estudo encontra divisão racial e étnica na atenção às notícias sobre crimes

O crime é consistentemente classificado como um dos tópicos mais seguidos e discutidos pelo público e recebe mais atenção na mídia local do que quase qualquer outro assunto. Um relatório recente do Pew Research Center reforça essas descobertas, mas também sugere que certos grupos de residentes prestam mais atenção ao crime local do que outros nas três cidades estudadas. Uma diferença que se destaca particularmente é entre grupos raciais e étnicos.

Uma análise aprofundada das notícias locais em Denver, Macon, Geórgia e Sioux City, Iowa, revela que em cada cidade pelo menos três em cada dez pessoas seguem o crimemuitode perto e mais da metade dos residentes costuma discutir o crime com outras pessoas.

Negros em Macon e hispânicos em Denver têm mais probabilidade do que brancos de seguir e discutir o crime localO interesse pelo crime, porém, não é igual para todos os residentes dessas cidades, como visto em Denver e Macon, onde os subgrupos raciais e étnicos eram grandes o suficiente para serem analisados.

Em Denver, os hispânicos (19% da população da cidade) acompanham as notícias do crime muito de perto, quase o dobro da taxa de brancos, 49% contra 26%. E sete em cada dez hispânicos em Denver costumam discutir notícias de crimes, em comparação com 49% dos brancos.

Em Macon, os negros (41% dos residentes da cidade) diferem dos brancos na quantidade de atenção que dedicam às notícias do crime quase no mesmo grau. Cerca de seis em cada dez negros acompanham de perto as notícias do crime, em comparação com menos da metade (43%) dos brancos. E, embora a grande maioria de negros e brancos discuta o crime, os negros o fazem em taxas mais altas (86% contra 76%).

Diferenças demográficas em quem segue e discute o crime localAs diferenças na atenção às notícias do crime também surgem nas linhas de educação e renda, com os menos ricos e os menos educados sendo mais propensos a seguir e discutir as notícias do crime. Essas descobertas mostram que raça e etnia, renda e educação são fatores proeminentes em quem discute e acompanha notícias sobre crimes. (É importante observar que essas três variáveis ​​demográficas estão relacionadas entre si: os negros em Macon e os hispânicos em Denver relatam níveis mais baixos de renda e educação.)



As diferenças entre mulheres e homens são menos pronunciadas. Ambos tendem a acompanhar o crime aproximadamente nas mesmas taxas, mas em Denver e Sioux City, as mulheres são mais propensas a discutir o assunto com outras pessoas. Quase dois terços (64%) das mulheres em Denver dizem que costumam discutir o crime, em comparação com menos da metade dos homens (45%). E em Sioux City a diferença é de 74% a 64%. Em Macon, entretanto, que dá a maior atenção ao tópico em geral, tanto homens quanto mulheres discutem o crime aproximadamente na mesma proporção.

Há pouca diferença entre outros fatores, como idade e nível de engajamento cívico.

Facebook   twitter