• Principal
  • Notícia
  • Em 30 países, os chefes de estado devem pertencer a uma determinada religião

Em 30 países, os chefes de estado devem pertencer a uma determinada religião

A maioria dos países com requisitos religiosos para chefes de estado estão no Oriente Médio e Norte da África

Uma nova análise da Pew Research descobriu que 30 dos países do mundo (15%) pertencem a um grupo único de nações que exigem que seus chefes de estado tenham uma afiliação religiosa específica. De monarquias a repúblicas, os candidatos (incluindo descendentes de monarquias reais) nesses países devem pertencer a um grupo religioso específico.

Essa lista inclui o Líbano, que exige que seu presidente seja membro da Igreja Cristã Maronita. Na quarta-feira, o parlamento do Líbano fará uma nona tentativa desde maio de preencher o cargo.

Lista de países onde a lei exige que um chefe de estado seja de uma determinada religião.Mais da metade dos países com restrições religiosas aos chefes de estado (17) afirmam que o cargo deve ser exercido por um muçulmano. Na Jordânia, por exemplo, o herdeiro do trono deve ser um filho muçulmano de pais muçulmanos. Na Tunísia, qualquer eleitor do sexo masculino ou feminino nascido no país pode se qualificar como candidato a presidente. Malásia, Paquistão e Mauritânia também restringem seus chefes de estado aos cidadãos muçulmanos.

Dois países, Líbano e Andorra, exigem que seus chefes de Estado tenham uma afiliação cristã. O Líbano também tem uma exigência religiosa de seu primeiro-ministro, que deve ser um muçulmano sunita.

Dois outros países exigem que os chefes de suas monarquias sejam budistas: o Butão e a Tailândia. E um país, a Indonésia, exige que a crença oficial do estado em Pancasila seja mantida por seu chefe de estado. A Indonésia é um país de maioria muçulmana; Pancasila é um somatório de 'elementos culturais comuns' da Indonésia, incluindo a crença em Deus.

Alguns países não exigem uma afiliação religiosa específica para chefes de estado, mas limitam os candidatos ao cargo a leigos. Oito países, incluindo Bolívia, México e El Salvador, proíbem especificamente o clero de concorrer às eleições presidenciais. Na Birmânia (Mianmar), o presidente está proibido de ser membro de uma ordem religiosa.



Países onde o chefe de estado é um monarca cerimonial.Além dos 30 países nesta análise, outras 19 nações têm requisitos religiosos para monarcas cerimoniais que servem como seus chefes de estado. Dezesseis deles, incluindo o Reino Unido, Austrália, Canadá e Nova Zelândia, são membros da Comunidade das Nações com a Rainha Elizabeth II - também conhecida como Defensora da Fé - como chefe de estado. Os outros países nesta categoria são Dinamarca, Noruega e Suécia.

A maioria dos países do mundo (85%) permite que cidadãos de qualquer afiliação religiosa sejam chefes de estado. Nos Estados Unidos, a Constituição proíbe especificamente qualquer tipo de 'teste religioso' como qualificação para ocupar cargos públicos federais ou estaduais. Ao mesmo tempo, vários estados ainda têm leis vigentes que proíbem os descrentes de ocupar cargos. No entanto, a Suprema Corte decidiu que a proibição da Primeira Emenda sobre o estabelecimento da religião proíbe claramente os estados de exigir que os titulares de cargos professem a fé em Deus.

Essa análise foi conduzida por meio de uma codificação das constituições dos países - ou lei básica - e por meio de referências a sites oficiais de governos específicos de cada país.Baixe os dados usados ​​nesta análise aqui.

Facebook   twitter