• Principal
  • Notícia
  • A maioria dos policiais diz que a mídia trata a polícia de forma injusta

A maioria dos policiais diz que a mídia trata a polícia de forma injusta

A maioria dos policiais dos EUA vê desafios significativos no trabalho na sequência de incidentes de alto perfil envolvendo policiais e cidadãos negros. Entre esses desafios está um sentimento generalizado entre os policiais de que a polícia é maltratada pela mídia, de acordo com uma pesquisa recente do Pew Research Center conduzida pela National Police Research Platform.

Cerca de oito em cada dez policiais (81%) que trabalham em departamentos de 100 ou mais policiais juramentados dizem que a mídia geralmente trata a polícia de maneira injusta, de acordo com a pesquisa. Apenas 18% dos policiais discordam. Cerca de quatro em cada dez policiais (42%)fortementeconcordam que a mídia é injusta com a polícia.

Embora o sentimento geral entre os policiais de que a mídia os trata injustamente seja compartilhado por gênero, raça e linha étnica, alguns policiais têm mais convicção do que outros. Policiais brancos (43%), por exemplo, são mais propensos do que seus colegas negros (34%) a concordar fortemente que a mídia trata a polícia de maneira injusta. Entre os oficiais hispânicos, 40% concordam totalmente. A idade também está relacionada às visões sobre a mídia. Enquanto 46% dos policiais com idades entre 18 e 44 anos concordam fortemente que a mídia trata a polícia de maneira injusta, menos pessoas com 45 anos ou mais (36%) expressam a mesma opinião.

Os administradores do departamento de polícia têm uma visão diferente sobre a mídia dos oficiais e sargentos. Apenas 29% dos administradores concordam fortemente que a mídia trata a polícia de maneira injusta, em comparação com cerca de quatro em cada dez oficiais e sargentos.

O tamanho do departamento também está vinculado às visões sobre a mídia. Oficiais de departamentos maiores são significativamente mais propensos do que aqueles em departamentos pequenos a ver o tratamento injusto da mídia: 51% daqueles em departamentos com 2.600 oficiais têm uma opinião forte sobre isso, em comparação com apenas 35% entre aqueles em agências com menos de 300 oficiais .

Para a polícia, as atitudes sobre o preconceito da mídia estão ligadas a outros sentimentos sobre seu trabalho. Os policiais que acreditam fortemente que a mídia trata a polícia de maneira injusta, por exemplo, têm mais probabilidade do que seus colegas de dizer que seu trabalho como policiais quase sempre ou freqüentemente os faz sentir-se frustrados e até com raiva. Aproximadamente dois terços dos policiais (65%) que concordam fortemente que a mídia trata a polícia de maneira injusta dizem que seu trabalho sempre ou frequentemente os deixa frustrados, e cerca de um em cada três (31%) afirmam que os deixa com raiva. Sentimentos de frustração ou raiva são significativamente menos comuns entre os policiais que não têm uma opinião tão forte sobre a cobertura policial da mídia. Uma análise mais aprofundada seria necessária para determinar o que vem primeiro para a polícia - cinismo sobre a cobertura da mídia ou sentimentos de frustração e raiva - mas essas atitudes estão claramente relacionadas.



Os policiais que têm uma visão fortemente negativa sobre a maneira como são tratados pela mídia também têm maior probabilidade do que seus colegas de ver uma desconexão entre eles e o público. Quando questionados sobre o quão bem o público entende os riscos e desafios que a polícia enfrenta no trabalho, 56% dos policiais que concordam fortemente que a mídia trata a polícia de maneira injusta dizem 'nada bem'. Em comparação, 30% dos policiais que concordam (embora não fortemente) que a mídia trata a polícia injustamente dizem que o público não entende o trabalho policial de forma alguma, assim como 25% daqueles que não sentem que a mídia trata a polícia de forma injusta.

Facebook   twitter