• Principal
  • Notícia
  • A geração do milênio é a geração de americanos mais provável de usar bibliotecas públicas

A geração do milênio é a geração de americanos mais provável de usar bibliotecas públicas

(Drew Angerer / Getty Images)

A geração do milênio na América tem mais probabilidade de ter visitado uma biblioteca pública no ano passado do que qualquer outra geração adulta.

Uma nova análise dos dados da pesquisa do Pew Research Center no outono de 2016 descobriu que 53% dos Millennials (com idades entre 18 e 35 anos na época) afirmam que usaram uma biblioteca ou livro móvel nos 12 meses anteriores. Isso se compara a 45% dos Geração X, 43% dos Baby Boomers e 36% daqueles da Geração Silenciosa. (É importante notar que a formulação da pergunta focava especificamente no uso depúblicobibliotecas, não bibliotecas acadêmicas no campus.)

Ao todo, 46% dos adultos com 18 anos ou mais dizem que usaram uma biblioteca pública ou livreto móvel nos últimos 12 meses - uma parcela que é amplamente consistente com as descobertas do Pew Research Center nos últimos anos.

Os membros da geração de adultos mais jovens também têm maior probabilidade do que os mais velhos de usar sites de bibliotecas. Cerca de quatro em cada dez Millennials (41%) usaram um site de biblioteca nos últimos 12 meses, em comparação com 24% dos Boomers. Ao todo, 31% dos adultos usaram um site de biblioteca nos últimos 12 meses, o que é semelhante ao percentual relatado de usar sites de biblioteca no final de 2015.

O uso relativamente alto de bibliotecas pelos Millennials pode estar relacionado às mudanças pelas quais muitas bibliotecas públicas passaram nos últimos 20 anos. Pesquisas anteriores do Pew Research Center documentaram o quão extensivamente as pessoas usam computadores e conexões de internet em bibliotecas, bem como o quão interessadas elas estão em serviços extras, como programas de alfabetização para crianças pequenas, espaços de reunião para grupos comunitários e tecnologia de 'zoológicos de estimação' que fornecem oportunidades para explorar impressoras 3-D e outros dispositivos tecnológicos.

Em todas as gerações, o uso de aplicativos móveis de bibliotecas públicas é menos comum do que o uso de bibliotecas e seus sites. A pesquisa descobriu que apenas 8% dos Millennials usaram um aplicativo de biblioteca nos últimos 12 meses, assim como 9% dos Gen Xers e 9% dos Boomers.



Além de demonstrar diferenças geracionais no uso da biblioteca, a pesquisa mostrou outras diferenças demográficas no uso da biblioteca. Por exemplo:

  • As mulheres são mais propensas do que os homens a dizer que visitaram uma biblioteca pública ou livro móvel nos últimos 12 meses (54% contra 39%). E as mulheres são igualmente mais propensas a usar sites de bibliotecas (37% contra 24%).
  • Os graduados universitários têm mais probabilidade do que aqueles cuja educação terminou com um diploma do ensino médio de usar bibliotecas ou livrarias nos últimos 12 meses (56% contra 40%). E uma lacuna semelhante se aplica ao uso de sites de bibliotecas.
  • Os pais de filhos menores têm maior probabilidade do que os não-pais de ter usado uma biblioteca nos últimos 12 meses (54% vs. 43%).

Leia mais sobre o envolvimento específico dos americanos com bibliotecas e recursos de biblioteca em umRelatório do Pew Research Center de 2016.

Nota: Este relatório foi possibilitado pelo The Pew Charitable Trusts, que recebeu apoio para o projeto por meio de uma doação da Fundação Bill & Melinda Gates. As descobertas e conclusões aqui contidas são de responsabilidade dos autores e não refletem necessariamente as posições ou políticas da Fundação Bill & Melinda Gates.

Leia mais sobre americanos e bibliotecas:

  • A maioria dos americanos afirma que as bibliotecas podem ajudá-los a encontrar informações confiáveis ​​e confiáveis
  • 10 fatos sobre americanos e bibliotecas públicas
  • Quem não lê livros na América?
Facebook   twitter