1. Preferências dos eleitores nas eleições gerais

Atualmente, 41% dos eleitores registrados dizem que votariam em Hillary Clinton se a eleição geral fosse realizada hoje, enquanto 37% dizem que votariam em Donald Trump, 10% dizem que votariam em Gary Johnson e 4% dizem que votariam em Jill Stein.

As diferenças no suporte entre grupos demográficos são amplamente consistentes com as preferências em pontos anteriores deste ciclo.

Continua a haver uma diferença considerável de gênero nas preferências de voto: as mulheres favorecem Clinton em vez de Trump por 19 pontos percentuais (49% a 30%), enquanto os homens apóiam Trump por uma margem de 12 pontos (45% a 33%). (Para mais informações sobre a disparidade de gênero, consulte 'Uma análise mais aprofundada da disparidade de gênero na votação presidencial').

As diferenças educacionais também são substanciais, especialmente entre os eleitores brancos. No geral, os eleitores com pós-graduação favorecem Clinton por uma ampla margem (59% contra 21%), com 10% e 5% expressando apoio a Johnson e Stein, respectivamente. Os graduados universitários também favorecem Clinton (47% contra 34%). As preferências são divididas entre aqueles com alguma experiência universitária ou menos: 41% apoiam Trump, 36% favorecem Clinton (9% dizem Johnson e 5% Stein).

Os eleitores brancos sem diploma universitário apoiam Trump por cerca de dois para um (51% contra 26%). Por uma margem menor, os eleitores brancos com ensino superior apóiam Clinton (47%) em vez de Trump (33%).

E as divisões entre os grupos religiosos continuam a ser grandes, à medida que os eleitores protestantes evangélicos brancos mostram esmagadoramente apoio a Trump sobre Clinton na disputa de quatro candidatos (63% contra 17%). Em contraste, os eleitores não filiados à religião têm mais probabilidade de se unir em torno de Clinton do que de Trump: 56% a apóiam, em comparação com 19% que apóiam Trump, 13% que preferem Johnson e 5% que votariam em Stein.



Traçando o perfil dos apoiadores dos candidatos

Gary Johnson é atualmente apoiado por 10% de todos os eleitores registrados em uma disputa de quatro candidatos. Quando questionados sobre sua preferência em uma disputa de mão dupla, os apoiadores de Johnson se dividiram igualmente: 43% dizem que apoiariam Clinton em uma disputa de mão dupla, enquanto 42% favoreceriam Trump.

Os apoiadores de Johnson são em média mais jovens do que os eleitores que apóiam Clinton ou Trump. Quase um terço (32%) dos apoiadores de Johnson no concurso de quatro jogadores têm menos de 30 anos. Isso é quase o dobro da proporção de apoiadores de Clinton (15%) ou Trump (12%), que têm menos de 30 anos. Apenas 29% dos Os apoiadores de Johnson têm 50 anos ou mais, em comparação com 50% dos apoiadores de Clinton e 62% dos eleitores de Trump.

A composição racial e étnica das coalizões dos candidatos também é bastante diferente. A esmagadora maioria dos apoiadores de Trump (87%) e Johnson (79%) são brancos. Em contraste, enquanto a maioria dos apoiadores de Clinton também são brancos (58%), cerca de um quarto de seus apoiadores são negros (24%) e um em cada dez (10%) é hispânico.

A maioria dos que apóiam Johnson são independentes (62%) e estão divididos quase igualmente entre aqueles que se inclinam para o Partido Republicano (28%) e o Partido Democrata (24%), enquanto 14% se recusam a inclinar-se para qualquer um dos partidos. Apenas 7% de todos os eleitores registrados - e apenas 3% de cada um dos apoiadores de Clinton e Trump - são independentes que se recusam a inclinar-se.

Mais ‘votação negativa’ do que em ‘08

Apoiadores de ambos os candidatos continuam a expressar atitudes de 'voto negativo' mais agora do que nos últimos ciclos presidenciais. Aqueles que escolheram Clinton ou Trump na disputa de quatro candidatos expressam opiniões divergentes sobre se seu voto é mais para seu próprio candidato ou contra o candidato adversário.

Entre os apoiadores de Trump, 44% dizem que sua escolha é mais um voto para Trump do que contra Clinton, em comparação com 53% que dizem que seu voto é mais contra Clinton do que contra Trump. Aqueles que apoiam Clinton têm uma probabilidade ligeiramente maior de dizer que seu voto é mais a favor do candidato (53%) do que de dizer que seu voto é contra Trump (46%).

Oito anos atrás, muito mais apoiadores disseram que sua escolha foi mais um voto em seu candidato do que um voto contra o candidato adversário. Em agosto de 2008, 59% dos eleitores a favor de John McCain consideraram sua escolha mais favorável a McCain, em comparação com 35% que disseram que foi um voto contra Barack Obama. E 68% dos que apoiaram Obama disseram que seu voto era mais para Obama, mais do que o dobro do que disseram que sua escolha era mais um voto contra McCain (25%).

Facebook   twitter